sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Feliz Natal

Que a estrelinha não pare nunca de brilhar!

Que cada dor fortifique, cada ausencia se torne,da forma possível, em presença...que o passado esteja no lugar certo e que o presente dê coragem para enfrentar o futuro...que cada momento seja uma aprendizagem que permita ver o caminho com nitidez e percorre-lo com animo e garra.
Que cada estrela tenha o poder de espalhar magia em cada momento e torná-lo "sempre grande".
Que esta magia valha sempre a pena, dia após, dia por maior que seja o cansaço, a desilusão ou  outro qualquer  sentimento que por vezes nos faz cair e ficar encostados à espera de um raio de luz. 
"Porque nada acontece por acaso" ao menos que seja possivel  entender os acasos que acontecem ainda que demore algum tempo...

Que o tempo passe a correr porque é sinal que cada momento vale a pena. Que a mudança seja sempre positiva e seja sempre possivel levantar a cabeça para observar com um sorriso aquela que está lá alto a brilhar sempre de forma incondiocional: A minha estrela!


segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A luz!



Apagou-se. Apagaste-a! Sim foste tu que a apagaste e nem avisaste…ou talvez já tivesses dado a entender e não reparei. Ainda que por vezes não fosse forte era uma luz! Mesmo que  fosse lá longe mas brilhava e quebrava o escuro.
Foi de repente e perdi-me do caminho a seguir….liga-a só para que eu possa ver a direcção. Ainda que por breves instantes mas deixa-a brilhar um pouco mais...Só para que  me sinta um pouco mais quente  para o caminho que tenho pela frente!

"Apenas um ponto de luz que me seduz, aceso na alma. Um ponto de luz que me conduz aceso na alma."

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Lição simples e preciosa.


A raposa calou-se e considerou por muito tempo o príncipe:
- Por favor... cativa-me! disse ela.
- Bem quisera, disse o principezinho, mas eu não tenho muito tempo. Tenho amigos a descobrir e muitas coisas a conhecer.
- A gente só conhece bem as coisas que cativou, disse a raposa. Os homens não têm mais tempo de conhecer alguma coisa. Compram tudo prontinho nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!
- Que é preciso fazer? perguntou o principezinho.
- É preciso ser paciente, respondeu a raposa. Tu te sentarás primeiro um pouco longe de mim, assim, na relva. Eu te olharei com o canto do olho e tu não dirás nada. A linguagem é uma fonte de mal-entendidos. Mas, cada dia, te sentarás mais perto...
No dia seguinte o principezinho voltou.
- Teria sido melhor voltares à mesma hora, disse a raposa. Se tu vens, por exemplo, às quatro da tarde, desde as três eu começarei a ser feliz. Quanto mais a hora for chegando, mais eu me sentirei feliz. Às quatro horas, então, estarei inquieta e agitada: descobrirei o preço da felicidade! Mas se tu vens a qualquer momento, nunca saberei a hora de preparar o coração... É preciso ritos.
- Que é um rito? perguntou o principezinho.
- É uma coisa muito esquecida também, disse a raposa. É o que faz com que um dia seja diferente dos outros dias; uma hora, das outras horas. Os meus caçadores, por exemplo, possuem um rito. Dançam na quinta-feira com as moças da aldeia. A quinta-feira então é o dia maravilhoso!
Assim o principezinho cativou a raposa. Mas, quando chegou a hora da partida, a raposa disse:
- Ah! Eu vou chorar.
- A culpa é tua, disse o principezinho, eu não queria te fazer mal; mas tu quiseste que eu te cativasse...
- Quis, disse a raposa.
Depois ela acrescentou:
- Vai rever as rosas. Tu compreenderás que a tua é a única no mundo. Tu voltarás para me dizer adeus, e eu te direi um segredo.
Foi o principezinho rever as rosas:
- Vós não sois absolutamente iguais à minha rosa, vós não sois nada ainda. Ninguém ainda vos cativou, nem cativastes a ninguém. Sois como era a minha raposa. Era uma raposa igual a cem mil outras. Mas eu fiz dela um amigo. Ela á agora única no mundo. 
- Sois belas, mas vazias, disse ele ainda. Não se pode morrer por vós. Minha rosa sozinha é porém, mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus sob a redoma. Foi a ela que abriguei com o pára-vento. Foi dela que eu matei as larvas (exceto duas ou três por causa das borboletas). Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa.
E voltou, então, à raposa:
- Adeus, disse ele...
- Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
- O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu tornas-te eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...
- Eu sou responsável pela minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.



terça-feira, 1 de novembro de 2011

Aos que passam na nossa vida...

Cada um que passa em nossa vida passa sozinho…
Porque cada pessoa é única para nós,
e nenhuma substitui a outra.
Cada um que passa em nossa vida passa sozinho,
mas não vai só…
Levam um pouco de nós mesmos
e nos deixam um pouco de si mesmos.
Há os que levam muito,
mas não há os que não levam nada.
Há os que deixam muito,
mas não há os que não deixam nada.
Esta é a mais bela realidade da vida…
A prova tremenda de que cada um é importante
e que ninguém se aproxima do outro por acaso…



domingo, 23 de outubro de 2011

Bom sabor, o da chuva!

  Este cheiro a chuva é tão característico que lhe daria um nome, o Teu!
Tal e qual lhe daria um lugar, o nosso! Não deixaria também de lhe dar um tempo muito próprio…aquele que em ambos queremos ser e somos o que queremos…aquele em que nos encontramos!

http://www.youtube.com/watch?v=OzrUs08-SWs&feature=results_video&playnext=1&list=PL7E4007D762DD780B

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Ficas...

    mesmo sem te aperceberes que o fazes... Ficas apenas porque o melhor já foi feito...
              Porque a nossa vontade assim o quis!

sábado, 27 de agosto de 2011

Post It

Vai e não hesites mais! Vai enquanto o tempo te permite! Vai para que possas continuar a história tal como a imaginavas escrever!
Já é tempo de não perderes mais tempo. De que esperas mais? Vai!

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Parti!

Sem ti ao meu lado e com os olhos postos no céu, parti!
Sem dar justificações a ninguém, fui.
Chegou a hora sabias? Mas não fui eu que decidi…Aconteceu!
Talvez cedo, talvez tarde ou simplesmente na hora que tinha que ser. Levei comigo o teu sorriso e a minha satisfação de te ter diluído em mim, sem sequer pensar que um dia possa querer ver-me livre desta mescla que agora sou eu. Só porque não vai acontecer. Só porque foste a quantidade necessária para me poder renovar, viver, sentir e no fim ser um novo eu….para finalmente ter conseguido partir com coragem ou então não tivesses tu me abraçado!

terça-feira, 5 de julho de 2011

Vê o mapa!

Num caminho incerto onde o que não admites defines por certo. É assim que me les e não sabes… procuras-me e não sentes…tens-me e não vês… estou e não me queres, parto e não deixas que os teus olhos consintam …onde é incerto esse teu relógio no qual não deixas o tempo correr com naturalidade.
Há lições que não queremos aprender…talvez por teimosia em admitir que há coisas que não mandamos…ou talvez porque não queremos reconhecer que o essencial é invisivel aos olhos, que sai fora do controlo da razão...
Situa-te agora e deixa o relógio dar as batidas certas.

sexta-feira, 1 de julho de 2011

A porta

 
Vai e abre a porta.

Talvez lá fora haja
uma árvore, ou um bosque,
um jardim,
ou uma cidade mágica.

Vai e abre a porta.
Talvez haja um cão a vasculhar.
Talvez vejas um cara,
ou um olho,
ou a imagem
de uma imagem.

Vai e abre a porta.
Se houver nevoeiro
dissipar-se-á

Vai e abre a porta.
Mesmo que nada mais haja
que o tique taque da escuridão,
mesmo que nada mais haja
que o vento surdo,
mesmo que nada haja,
vai e abre a porta.

Pelo menos
Haverá
Uma corrente de ar.

Miroslav Holub

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Tu estás!

Desde sempre TU estás! Estás em mim sempre e ainda mais quando mexo no meu cabelo e lembro o quanto gostavas dos meus caracóis. O quanto me pedias paciência para os escovar, e do quanto adoravas de me ver com tranças. Que saudades tenho tuas, desses tempos! Da ternura como cuidavas da “tua pequena”. Mas quis o tempo parar o momento! Sim. Mesmo longe ainda que não queiras mostrar porque não tens jeito ou simplesmente por falta de oportunidade ou talvez a resposta seja só para não te habituares ao que tanto que poucas vezes podes ter. Mas seja de que maneira for, EU sei que estás comigo sempre e te orgulhas de mim. Vais orgulhar ainda mais, vou conseguir ter a paciência que me pedias tal e qual como quando era para a avó me fazer as tranças, e vais-te orgulhar ainda mais da pequena! Sei que estás sempre aí para mim, sei que percebes quando realmente preciso de ti. Apenas quero que saibas que te queria bem mais pertinho de mim para te poder abraçar, te sentir próximo e te dizer o quanto gosto de ti.
Obrigada PAI

quinta-feira, 9 de junho de 2011

E se?

Muito mais…poderia ter visto muito mais SE a tua capa caí-se e teu “gostar” se tornasse vestido de algo visível. Fosse do que fosse mas visível. Muito mais do que pensas serias … e será que não o foste?

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Momentos !!



Porque há momentos de tudo...momentos de solidão, tristeza, desanimo, mas também de esperança de agarrar o que é nosso. Agarrar o que foi vivido e queremos de volta.
Há momentos de mudança e felicidade. Há momentos que valem a pena...e muito!

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Sonho



Com os olhos que mal se percebe se estão abertos ou fechados páro no meio tempo para perceber como reagir ao nada que marca o momento que se cruza à minha frente e ganhar força para o tudo que não me deixa avançar.
Vou deitar-me para poder organizar a realidade em função do sonho e vou muda-la consoante as noites assim o quiserem..porque os sonhos nunca são como imaginamos...porque no sono de amanha vamos querer sempre mudar algo...ainda bem que o podemos fazer...ou talvez não...

segunda-feira, 11 de abril de 2011

"Não deixes que nenhuma nuvem tape esse glorioso SOL"

Não deixarei amiga. Este sol está aquecer o meu corpo frio e a iluminar a minha alma! Este sol brilha como nunca brilhou. É meu como nunca foi!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Espero e vejo.

Talvez amanhã seja diferente de hoje, mas espero que nunca igual a ontem. A ver vamos...
Alguém me guarda enquanto dormo, por isso, fecho os olhos e sem medo sonho.Voo como se o céu fosse todo meu...saboreio a liberdade  e que bem que sabe.

quarta-feira, 2 de março de 2011

“ Um dia ainda escreves um livro”

Sim um dia ainda escrevo e tu estarás lá. Quero apenas que me mostres mais um pouco dessa magia que espalhas e transformas tudo à tua volta. Quero me abraces antes de eu partir para que eu o faça com coragem e para que eu te leve um mim de uma forma que tanto gosto.
Hoje, relembro que “momentos que passam, saudades que ficam” mas voltarei! Porque tu assim o quiseste. 
Dá-me, agora,  a tua mão e deixa-me segura em ti.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

O meu céu ganhou mais uma estrela...

O tempo adiantou-se e não me deu a oportunidade de voltar! Fica a tristeza de não conseguir voltar a partilhar um sorriso e um alento na estrada que adivinhavas ser curta. Deixaste a caixa! A caixa, que mesmo não te encontrando, vou buscá-la e guardá-la com o maior carinho. Tu bem sabes como as coisas são e tu bem sentes como te dava corda a esse teu relógio para que ele não parasse… sem nada em troca porque amar é assim. A jovem que pensavas estar de passagem tatuou-te com carinho e nem a distância vai parar este sentimento. Fica a foto, os postais, os moldes perfeitos em madeira feitos por ti, o sabor dos bolos, o calor e os cheiros do Verão. Guardo com cuidado a tua voz na minha memória para que não a perca. Guardo o teu orgulho em mim e, mesmo fraca pela tristeza de te perder, ganho força para te continuar a dar motivos de orgulho porque o amor permanece incondicional como sempre! Ainda te ouço a chamar o meu nome com a tua voz meiga e num sotaque tão próprio!
O telemóvel esse já não vai tocar mais com o teu nome no visor mas deixaste tanto de ti em mim e isso não vou perder. Ensinaste-me que amar é assim…não ter medo e cuidar! É não sermos cobardes e não amarmos com medo de sofrer porque os momentos de felicidade valem muito mais.
Olho para trás e não me arrependo, concluo que valeu a pena. Muito!

Agora olho o céu e tenho-te ainda mais longe eu sei, mas perto! Brilha!





domingo, 13 de fevereiro de 2011

Estás!

Um toque, um lugar, um sorriso, um olhar! E num momento tão inesperado voltas!
 Entras como se nunca o tivesses deixado de o fazer dia após dia. Falas no mesmo tom como se o tempo não passasse. Continuas como os lugares que teimam alterar e não conseguem. Porque estarás sempre lá!
E, assim, apesar do que possa acontecer: eu fico, tu ficas, nós ficamos! Num lugar tao nosso e acompanhados por uma melodia tão perfeita!

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011