quinta-feira, 6 de maio de 2010

end?

O tempo passa mas o momento ficou parado. O lugar é sempre o mesmo apesar de todas as mudanças que queiram fazer. Foi lá. Foi lá que parei coma minha revolta. É lá que relembro que já nada posso fazer. Mostraste-me tanto! Não hei-de passar sem reparar e sem pensar no “se”, não hei-de olhar para o sol sem recordar o teu sorriso e cada vez que fechar os olhos hei-de ouvir a tua voz como se fosse hoje. Peço tanto que a minha memória não me tire o tudo que tenho. Agora olho o céu é quanto me basta para te sentir perto, olho o mar para respirar fundo e conseguir continuar caminho e a ti dedico todo o meu esforço de continuar como se estivesses mesmo ao meu lado, e estás…mas queria tanto voltar a ver-te, falar-te…queria tanto que voltasses a dizer o meu nome e a pedir para esperar…a ti dedico as minhas vitorias. Porque apesar da falta dos sentidos eu sei que estás por perto para me proteger, entre as quatro paredes ainda te sinto, no vento que me bate na cara ainda te beijo e no relógio que olho ainda te espero...no fundo eu sei…ou não quero saber que o passado escapou-me por entre os dedos…com uma ultrapassagem infeliz.
Agora resta-me saber continuar a construção que começas-te...porque  há coisas que não tem fim.






(O tempo passa mas o essencial fica e tu serás sempre tu, não sao preciso datas...e nao é preciso recordar, simplemente porque há coisas que nunca são esquecidas)

3 comentários:

  1. Adorei as tuas palavras linda.
    Mas lembra-te k "longe da vista mas perto do coração". Força. Beijinho

    ResponderEliminar
  2. Lindo, lindo mesmo, palavras sentidas
    (fiquei sem palavras)
    Beijocas

    ResponderEliminar
  3. "Porque há coisas que não tem fim..." e é verdade.. :)
    gostei!
    Beijinho

    ResponderEliminar