sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Cheiro a ti!

Encontrei-te numa prateleira, a ti não, ao teu cheiro!
Tal e qual sem nenhuma alteração, num saquinho que ainda sem pegar já sentia à entrada da loja, aquele cheiro de quando estou contigo. Encontrei-o e agarrei-o de imediato para que não esperasse mais ali, naquela prateleira. Para que não esperasse tal como estes anos todos que também nós tivemos que esperar…
Apeteceu-me levar o stock todo para te espalhar por todos os sítios por onde estou, para te poder sentir presente em todos eles. Cheira tão a ti mãe que não consegui largar nunca mais aquele saquinho, que nada mais da loja me conseguiu tirar atenção e cada vez que entro no carro, no meu quarto, sinto-te tão perto de mim apesar de estares longe.
É tão teu, é tão nosso, é tão próprio das minhas férias passadas contigo… É um saquinho que parece guardar lá todas as memórias onde consigo sentir os risos, as recomendações e sentir o teu cuidado comigo antes de sair à rua por causa do sol ou do frio, naqueles dias de quando estava muito vento, por causa dos ouvidos, lembraste?
Agora parece o que o ar espalha magia e não dependo tanto da minha memória e das fotos, tenho um cheiro tão teu, que fecho os olhos, viajo e sinto-te comigo e por segundos estás mesmo! Parece que foi uma prenda que recebi neste ano que não estiveste comigo, por isso, agarrei-a sem hesitar e não vou largar nunca! Porque afinal encontrei-te de alguma forma!
01-01-2014

Sem comentários:

Enviar um comentário